HOME
SOBRE NÓS
ÁREAS DE ATUAÇÃO
PROFISSIONAIS
BLOG
CANAL NO YOUTUBE
FALE CONOSCO

06 dicas essenciais para passar na perícia do INSS



Se você está prestes a passar por uma perícia no INSS para receber o benefício auxílio doença preste atenção nessas dicas essenciais. Elas vão aumentar as suas chances de ser aprovado: 

Dica n.º 1 - A doença e sua relação com o trabalho

Não é porque o nome do benefício se chama auxílio-doença que toda doença vai gerar um benefício. Para receber este benefício é preciso comprovar que a doença que te aflige está impedindo que você exerça o seu trabalho. Por exemplo: se o segurado trabalha carregando peso e tiver um problema na coluna, provavelmente este problema de saúde o incapacitará para o trabalho. Porém se este mesmo trabalhador tiver uma gastrite, provavelmente esta doença não o incapacitará para o trabalho e ele não terá direito a receber o benefício. Portanto o trabalhador precisa estar ciente de que ele somente passará na perícia se conseguir comprovar que a doença de que sofre o incapacita para o trabalho que ele habitualmente realiza.

Dica nº 2 – O que levar para a perícia

No dia da perícia você deve levar 1- um documento de identidade com foto, pode ser o RG ou carteira de habilitação, lembrando que este documento precisa ser o original, não pode ser uma fotocópia; 2 – o  CPF; 3 – a carteira de trabalho; 4 – todos os documentos que comprovem a sua incapacidade, isto é, exames médicos recentes e antigos que você tenha feito como por exemplo uma ultrassonografia, uma tomografia, uma ressonância magnética.

É importante lembrar que não adianta levar exames que não tem nada a ver com o problema que te incapacita para o trabalho. Por exemplo: se o trabalhador está com um problema psiquiátrico, e em razão deste problema ele não consegue trabalhar, não adianta levar no dia da perícia um exame de raio-x. Neste exemplo, o ideal seria o trabalhador solicitar junto ao seu médico psiquiatra uma cópia do prontuário para levar no dia da perícia. Além dos exames médicos o segurado deve levar um laudo feito pelo seu médico onde ele descreve o seu problema de saúde. Nele o médico necessita detalhar desde quando está tratando do paciente, qual o tratamento que vem sendo feito, deve mencionar o nome da doença com a CID – que é a CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DA DOENÇA. Além disso, deve informar ainda a medicação que foi prescrita, e finalmente a necessidade de afastamento do trabalho e por quanto tempo.

Por fim, não se esqueça de levar todas as receitas médicas onde constam a prescrição de medicamentos com as respectivas dosagens;

Dica nº 3- A doença emocional e vestimenta

Se você estiver com alguma doença emocional, depressão, por exemplo, não vá a perícia muito bem arrumado(a) e ou perfumado(a). No caso das mulheres não use maquiagem, batom, brinco, anéis, colares, pois o perito pode interpretar isso como sinais de elevada autoestima e que você está bem e não doente, e assim, ele indefere o seu benefício.

Dica nº 4 - Diga apenas a verdade

Não minta ou simule sintomas que você de fato não esteja sentindo. Além de ser crime, o médico-perito com certeza vai perceber se você comparecer no dia da perícia com uma bengala ou uma cadeira de rodas, por exemplo, que na verdade você não as utiliza no seu dia a dia. Se você fizer isso o seu benefício será indeferido na hora. Portanto diga apenas a verdade!

Dica nº 5 – Declaração do último dia trabalhado

Se você é trabalhador empregado registrado em carteira, leve uma declaração assinada pelo seu empregador informando a data do último dia trabalhado.

Dica nº 6 – CAT

Se você sofreu um acidente de trabalho você deve levar a CAT – que é a comunicação de acidente de trabalho no dia da perícia.

A empresa é obrigada a emitir a CAT e comunicar o acidente ao INSS. Porém, se a empresa deixar de fazer isso o próprio empregado, seus dependentes ou o sindicato da sua categoria poderá emiti-la.

No site do INSS você pode baixar um aplicativo para realizar o registro da CAT de forma online, ou senão baixar o formulário para preenchê-la manualmente.

Por fim, se você seguir todas essas dicas e mesmo assim não passar na perícia, não fique nervoso, não se desespere!

Eu sei que em muitas situações o perito do INSS não realiza um bom trabalho. Ele é grosseiro, ríspido, te trata mal e sequer analisa direito seus documentos.

Porém há mecanismos legais que podem reverter a conclusão do perito do INSS e viabilizar a concessão do benefício que você tanto necessita.

Quer saber como? Agende aqui uma consulta.

 

28/05/2020
Por Roberto Junior

ASSUNTOS